Nesta terça-feira, dia 06/10/2020, foi realizada a primeira Reunião de Análise Crítica do HMMR, com a participação das lideranças do Hospital. Objetivando a excelência da gestão no serviço hospitalar, a reunião  teve como pauta os parâmetros da avaliação da gestão da unidade, apresentação da coordenação de hotelaria e apresentação da coordenação do centro de parto normal.   A reunião foi iniciada pelo Diretor Geral da unidade, Dr. Flávio Monteiro, dando um panorama sobre a nossa missão (Qual é? o que queremos? o que somos? Como funciona uma OSS?); orientando aos líderes sobre a importância de medir a qualidade e o custo de nossos processos, também definir indicadores para gerir um serviço público com a eficiência do serviço privado; e tornando explícitas metas comuns a todos os setores como  a Certificação Hospital Amigo da Criança (IHAC), tão ansiada por todos nós. “A Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC) é uma estratégia lançada no mundo inteiro pela Organização Mundial da Saúde e UNICEF em 1991[1][2] com o intuito de promover, proteger e apoiar o aleitamento materno no âmbito hospitalar. A iniciativa consiste no treinamento dos profissionais de saúde do estabelecimento de saúde para o cumprimento dos dez passos para o sucesso do aleitamento materno.” A Gerente Operacional, Fátima Madeira, realizou a apresentação da Coordenação de Hotelaria, especificamente o serviço de Rouparia. Fátima trouxe um histórico do setor desde a inauguração do HMMR, que aluga o enxoval (lençós e camisolas) e serviços de lavanderia, além da lojistica estabelecida para transportar, lavar, receber, descansar e distribuir as peças. Alinhou expectativas em comparação a realidade dificultada por todas as variáveis existentes, entre elas: a inconstância nos repasses de custeio; a defasagem do enxoval, que ocorre por desgastes das peças; a evasão por perda e furto. Fátima também tratou sobre uma proposta antiga de internalizar o serviço de rouparia, que até o momento não foi possível ser posta em prática. Segundo os cálculos, que comparam o custo do aluguel do enxoval com RH com a internalização, a economia gerada seria de 20% à 30% no valor das peças e de até 20% com a folha de RH. Além disso, para a unidade hospitalar, faria toda a diferença na assistência a posse de todo o enxoval sem riscos de faltar enxoval em caso de desabastecimento por problemas de lojística, transporte ou até mesmo falta de repasse de custeio. A Coordenação do Centro de Parto Nornal foi apresentada pela Chefe de Enfermagem Eveline de Oliveira Alves, que descreveu como principal objetivo do setor o auxílio ao parto humanizado. Com uma equipe composta por 08 profissionais de enfermagem, além de médicos obstetras e pediatras, o setor recebe residentes e acadêmicos como campo prático de atuação. Atende gestantes de risco habitual, com média acima de 50% dos partos realizados pela enfermagem obstétrica, e alto risco, com partos realizados por médicos. A atuação da equipe do CPN é baseada nas Diretrizes Nacionais de Assistência ao Parto e ao Recém-nascido e conta com ações que beneficiam diretamente o binômio mãe e bebê. Entre as boas práticas de assistência ao trabalho de parto estão: a parmanência do acompanhante durante o pré-parto, parto e pós-parto; orientações à gestante; a admissão no setor na fase ativa do trabalho de parto; o uso de métodos não-farmacológicos para alívio da dor; posições de livre escolha da mulher para o parto. Enquanto na assistência ao recém-nascido o contato pele a pele, aleitamento materno na primeira hora de vida, o banho após 24h do nascimento e a permanência de mãe e bebê no alojamento conjunto. Segundo Eveline, ainda sob a atuação das boas práticas de assistência ao parto procedimentos, que já fizeram parte da rotina no parto, como a tricotomia, a limpeza vaginal com clorexidina,  a epsiotomia, a aspiração das vias aéreas  e boa do recém-nascido saudável estão entre as práticas não realizadas pela equipe. A equipe entrega à mãe, ao deixar o CPN o carimbo da placenta, caso ela deseje levar como recordação. A figura formada pela placenta com tinta guache é transferida para o papel, que recebe uma dedicatória da enfermeira, com votos e felicitações à mãe e bebê. Para finalizar, foram conhecidos os desafios do setor com estratégias e ações práticas ao parto humanizado. Dr. Flavio e Dr. Luiz Guilherme, Diretor médico da unidade, fizeram observações quanto às apresntações e orientações quanto às metas a serem estipuladas e demonstradas nos gráficos para os próximos encontros. A reunião foi encerrada com o agendamento para a próxima terça-feira e confirmada no cronograma semanal de atividades do HMMR.  
Texto e imagens: Claudia Gomes